sexta-feira, 19 de março de 2010

Antigona, A Rebelde - Marie-Therese Davidson

E mais um de uma nova coleção que promete...


Antigona, A Rebelde
Coleção: Histórias Sombrias da Mitologia Grega
Autora: Marie-Therese Davidson


Editora: Companhia das Letras
Assunto: Literatura Juvenil
Tradutor: Álvaro Lorencini
ISBN: 8535916059
ISBN-13: 9788535916058
1ª Edição - 2010
136 Páginas

Lançamento previsto: 24/3/2010


- Sinopse:

Após a morte de Édipo, sua filha Antígona regressa à terra natal, a cidade de Tebas. Mas essa viagem só traz preocupações à jovem - amaldiçoados por Édipo, seus irmãos Polinice e Eteocle se desentenderam e estão prestes a entrar em guerra. Antígona tenta dissuadilos, mas não consegue impedir o confronto. Polinice se sente traído por Eteocle, a quem acusa de roubar o trono de Tebas. O desfecho da guerra não pode ser mais trágico - os irmãos acabam por matar um ao outro. Creonte, o novo rei da cidade, proíbe que se enterre Polinice, pois o considera um traidor, mas Antígona não pretende deixar o irmão sem sepultura. A quem ela deverá obedecer? À lei da cidade ou à voz de sua consciência?
________

- Quem Foi Antígona?

Antígona, de Sófocles

Antígona era filha de Édipo (Édipo sem saber matou o próprio pai e casou-se com a própria mãe, Jocasta, e mais tarde tornou-se rei de Tebas - e isso trouxe consequências para sua prórpria filha, Antígona).
Desgraças e grandes provações acontecem durante toda a historia de Antígona. Após sua expulsão de Tebas, teve a missão de ajudar e guiar o seu pai já cego em suas peregrinações, amparando-o até a morte.
Seus dois irmãos, Etéocles e Polinices, brigaram pelo poder de Tebas. Combinaram de exercerem o poder de forma alternada por um ano cada, porém Etéocles recusou-se a entregar o trono à Polinices que,apoiado pelo reino de Argos se volta contra Tebas.
Depois de várias mortes em Tebas, a cidade passa a ser governado pelo cunhado de Édipo (Cleonte) que decreta a lei que não permite enterrar os que morreram em guerra por serem "traidores". Antígona desobedece a lei imposta por Cleonte e pede pelo o seu irmão todas as honrarias fúnebres. Entretanto, por desobedecer as leis, é condenada a morte pelo próprio rei sendo enterrada viva na gruta de sua família. Lá Antígona comete suicídio enforcando-se. Seu noivo, Hémom, filho do rei Cleonte, ao saber da morte de sua amanda, enfurece-se com seu pai e se mata sobre o seu cadáver de Antígona. Eurídice, esposa de Creonte, diante da perda do seu filho, chega a cometer o suicídio.
Antígona foi o elo principal que desencadeou o trágico destino do rei frente a sua própria inconseqüência. Foi também o destino de toda a cidade.
”Se alguém perguntar quem foi Antígona, que respondam, foi aquela que morreu ante de Tebas.”

2 comentários:

nieninquë disse...

Aiai Vicky, eu faço psico e esse livro fala justo da 'continuação' do Édipo? Assim não dá hahaha, como se eu precisasse de uma desculpa né? hahaha

Bom Domingoooo
Miquilis
Bru

Vick disse...

Mitos em alta! rsrsrs

Bjs,
Vick